Caravana Literária leva folclore maranhense às crianças de Imperatriz

O projeto traz o folclore das lendas maranhenses por meio do teatro de contação de histórias

TRADIÇÃO Divulgação Caravana Literária leva folclore maranhense às crianças de Imperatriz

Assessoria
17/10/2018 12:30 atualizado em 17/10/2018 14:38

A manhã de terça-feira (16) garantiu muita imaginação e literatura para as mais de 100 crianças do Centro Educacional Municipal Madalena de Canossa. Elas receberam o projeto Caravana Literária, que levou ao pátio da instituição o folclore das lendas maranhenses, por meio do teatro de contação de histórias.

O projeto é patrocinado pela Companhia Energética do Maranhão (Cemar), por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e visa o estímulo à leitura aos alunos da rede pública, com foco no fomento de conhecimento sobre a história do Maranhão nas turmas da educação básica. Nesta edição, a iniciativa visita 14 municípios de norte a sul do estado.

Segundo a vice-gestora da escola, Maria Conceição, “a iniciativa da Cemar em trazer para as escolas esse projeto é de grande importância. São aulas diferentes, que tiram o aluno das salas e que fazem eles mergulharem no mundo da leitura, enquanto as histórias estão sendo contadas”.

Na escola Madalena de Canossa, as lendas maranhenses apresentadas foram: do “Bumba-Meu-Boi” e “A Serpente Encantada”. O primeiro conta a história do desejo de grávida de Catirina por comer a língua do boi mais amado da fazenda; e o segundo narra a lenda da serpente adormecida abaixo da ilha de São Luís. Os contos foram performados pelo grupo Chama Teatro, parceiro do projeto.

A estudante do 5º ano do ensino fundamental, Iara Gomes, 11 anos, conta que se divertiu com a apresentação realizada na escola. “Eu achei o teatro muito engraçado e a história do bumba-boi pra mim foi a mais legal. Também aprendi muitas coisas e com o livro que ganhei vai ser ainda melhor”.

Ao final da apresentação, todos os alunos receberam livros infantis. Os livros são de autoria de Wilson Marques, escritor que também é patrocinado pela Companhia, o qual desenvolveu uma coletânea literária que aborda a herança cultural do estado, de forma lúdica e recheada de ilustrações. Até o final do projeto, em média 2 mil crianças terão assistido as apresentações teatrais e recebido os livros.

Wilson Marques reforça que “as crianças de escolas particulares têm amplo acesso a isso, enquanto as crianças de escolas municipais e comunitárias muitas vezes nunca ganharam um livro na vida ou nunca assistiram uma contação, principalmente quando se fala da história popular do Maranhão. Agradecemos muito a Cemar que tem buscado fazer uma empresa cada vez melhor para os maranhenses, abraçando essa causa de verdade desde o início”, finaliza.

Instagram @correioma