Saúde SAÚDE

Setembro é o mês de alerta para o câncer de intestino, doença que pode atingir mais de 40 mil pessoas

Cancêr é um dos mais frequentes no Brasil e que deve atingir quase 41 mil pessoas, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA)

04/09/2021 11h22
44
Por: Hyana Reis Fonte: Assessoria
 Foto: Divulgação / Assessoria.
Foto: Divulgação / Assessoria.

O mês de setembro é período de alerta para o câncer de intestino, um dos mais frequentes no Brasil e que deve atingir quase 41 mil pessoas, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Apesar de muito incidente, mudanças de hábitos podem evitar esse tipo de tumor e garantir qualidade de vida às pessoas.

 

De acordo com o Dr. Gumercindo Filho, cirurgião oncológico da Oncoradium Imperatriz, a principal prevenção é ter hábitos saudáveis, isso inclui a prática de atividades físicas, alimentação rica em frutas e verduras, a diminuição de massa corpórea e o controle no consumo de carne vermelha e alimentos multiprocessados.

 

O câncer de intestino envolve tumores que podem aparecer no intestino grosso, chamado cólon, e no reto (parte final do intestino, antes do ânus).  Segundo o Dr. Gumercindo Filho, alguns fatores de risco contribuem para o surgimento dessa doença. “Ela atinge mais pessoas acima de 50 anos, pessoas tabagistas, está relacionada à ingestão de álcool, ingestão de muita carne processada (linguiça, salsicha...), ingestão de carne vermelha acima de 500g por semana e alimentação não saudável, isso quer dizer alimentação pobre em frutas e vegetais”, afirma.

 

Sintomas

Conforme o Dr. Gumercindo Filho, as pessoas devem ficar atentas ao surgimento de sangue nas fezes, alteração do hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre alternados), dor ou desconforto abdominal. “A anemia crônica e o surgimento de algum abaulamento no abdômen também são sinais de alerta”, afirma o cirurgião oncológico.

 

Diagnóstico e Rastreio

De acordo com o Dr. Gumercindo Filho, os exames de rastreamento ajudam a reduzir o risco de mortalidade, uma vez que o câncer pode ser diagnosticado em fase inicial e com mais chances de cura. A principal indicação é a realização do exame de colonoscopia a partir dos 50 anos, pois permite a visualização do intestino grosso de forma abrangente e a possibilidade de remoção quando há lesões. “Outros exames também podem ser solicitados, como a tomografia computadorizada de abdômen e a ressonância nuclear magnética de abdômen e pelve”, ressalta. 

 

Tratamento

Como qualquer tipo de câncer, o tratamento depende do estágio no qual a doença é diagnosticada. Basicamente, é feita a retirada dos tumores e o tratamento multidisciplinar, que pode envolver quimioterapia e/ou radioterapia.