E-mail

redacao@correioma.com.br

WhatsApp

99 98190-5359

Janeiro Branco - Assembleia
Radio Timbira
GERAL

Imigrantes indígenas têm de vencer preconceito

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados fez uma força-tarefa para levantar informações sobre a etnia Warao

27/08/2018 11h34Atualizado há 1 ano
Por: Redação
Fonte: Agência Brasil
234
Indígenas venezuelanos, da etnia Warao, são acolhidos no abrigo Janokoid (Foto: Agência Brasil)
Indígenas venezuelanos, da etnia Warao, são acolhidos no abrigo Janokoid (Foto: Agência Brasil)

Carismáticos, sorridentes e comunicativos, os indígenas da etnia Warao têm de enfrentar o preconceito, além das dificuldades naturais aos imigrantes. Para a coordenadora do abrigo Janokoida, Socorro Maria Lopes, as restrições aos indígenas vem da falta de informação.

“O maior desafio é a má leitura que as pessoas fazem do trabalho do abrigo, a suposição do que acontece aqui, não conhecer realmente nada das culturas, das pessoas da etnia Warao e julgar.” Segundo Socorro Lopes, outro desafio em relação aos Warao é identifcar o que eles realmente desejam no Brasil. Diferentemente da maioria dos imigrantes não indígenas, que quer deixar Pacaraima rumo ao interior, entre os indígenas há incerteza.

Para o coordenador do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) em Pacaraima (RR), Rafael Levy, é necessário compreender a cultura dos Warao para poder ajudá-los.“É um desafio que tem pensar em conjunto com os próprios indígenas, tentar entender melhor quais os objetivos e anseios deles.” Levy disse que é preciso definir uma estratégia de governo e a longo prazo.

“[É preciso] trabalhar com as autoridades brasileiras para pensar uma estratégia ampla e conjunta do que fazer com a população, onde eles vão ficar, qual a solução a longo prazo. É um plano que tem ser construído com vários atores, porque vai impactar o estado brasileiro, os indígenas e a população local.”

Força-tarefa

Nesta semana o Acnur fez uma força-tarefa para levantar informações sobre a etnia Warao. O objetivo é emitir carteiras de identificação, definir ações de assistência social e de saúde, assim como mapear as principais necessidades e intenções.

Rafael Levy, do Acnur, disse que os Warao viviam em canais próximos ao mar, são um etnia “da água” e têm o hábito de morar em comunidades ribeirinhas afastadas de centros urbanos. Também foi observado que muitos dos indígenas ainda mantêm o costume de passar pela fronteira rotineiramente para levar ajuda para os parentes que permaneceram na Venezuela.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários