E-mail

redacao@correioma.com.br

WhatsApp

99 98190-5359

Fevereiro Laranja
Radio Timbira
Novembro

Homenagens escritas marcam a trajetória e legado de Dona Raimunda  

Dona Raimunda era quebradeira de coco e vivia em São Miguel do Tocantins. Ela faleceu na noite da última quarta-feira (7)  

30/12/2018 14h00
Por: Redação
Fonte: Daniela Souza
353
 (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

“Ontem faleceu Dona Raimunda do Coco, companheira inabalável na luta popular e camponesa! Minha homenagem - Dona Raimunda do Coco, Uma palmeira se fez em minha vida. Suas palavras, sabedoria popular que reformula a intelectualidade acadêmica; luta que fortaleceu minha militância na defesa da vida; força que me faz resistir às intempéries de governos fascistas; esperança de luta que lança ao horizonte a glória dos explorados/as e oprimidos/as, anima minha fé para seguir os passos do padre Josimo. Segue adiante e diga ao Nobre Camarada, que não nos abalaremos com os dias turbulentos que se aproximam!”.   

Assim escreveu o professor e sociólogo Milton Texeira após o susto de ter recebido a notícia do falecimento da ex-quebradeira de coco, Raimunda Gomes. Aos 78 anos, ela ainda participava de eventos e relatava sua luta enquanto quebradeira de coco, mulher e defensora dos direitos de camponeses, ao lado de outras mulheres.