E-mail

redacao@correioma.com.br

WhatsApp

99 98190-5359

Radio Timbira
Fevereiro Laranja
Diálogo Coach

Chega de covardia, basta de violência contra as mulheres!

Diálogo Coach

Diálogo CoachKarolinne Sousa retrata seus pensamentos com foco em desenvolvimento pessoal e despertar de uma nova consciência. Um universo de provocações para você que busca respostas.

18/11/2018 18h46
Por: Redação
151
Chega de Violência. (Foto: Reprodução)
Chega de Violência. (Foto: Reprodução)

Dependência financeira, emocional, insegurança ou medo? O que impede uma mulher agredida de denunciar o seu companheiro? Seria a vergonha da exposição pública ou a certeza da impunidade? Esses motivos são pequenos diante da questão maior, a falta de amor próprio. Quando não denunciamos ou somos cúmplices de violência doméstica, ajudamos a expedir precocemente uma certidão de óbito.

A mulher oprimida torna-se vítima de si mesma e de seu algoz. Ao se calar, ela não recebe socorro e faz que o agressor não seja punido. O silêncio favorece o aumento dos casos de agressão. E é bem democrático, uma vez que vem de todas as classes sociais. Visto que a agressão atinge tanto a mulher rica quanto a pobre, a estudada ou a analfabeta. No caso das abastadas, a preocupação é quanto ao que a sociedade vai falar. Assim, os gritos reprimidos das mansões se perdem no glamour das festas.

A mulher deve reconhecer o seu valor, e não deve aceitar agressões verbais, morais e tão pouco físicas dos seus cônjuges, companheiros, namorados ou patrões. Está na hora dessa realidade velada acabar. A omissão mata não somente as mulheres, mas toda uma família no aspecto emocional. Imagine uma criança vinda de um lar violento? Será um adulto violento, um esposo violento ou uma mulher reprimida ou agressiva. Elas também são vítimas.

Mulheres busquem um significado para as suas vidas! Façam a sua existência valer a pena enquanto é tempo! Não devemos aceitar essa situação cruel e desumana. Não nascemos para apanhar! Vamos denunciar, vamos acolher, vamos ouvir, não podemos ser coniventes. Poderia ser você, sua mãe, sua filha, sua amiga, sua colega de trabalho, sua vizinha. Vamos parar de criticar, muitas não pedem socorro por vergonha ou por receio de serem ainda mais julgadas.

Ficar calada pode matar você! Grite, peça ajuda! Que mentiras você vai continuar contando para si mesma? Não creia que merece apanhar porque usou uma roupa curta; Não faça algo que não quer (sexo ou ser lesada financeiramente), não aceite que seu patrão te ofenda, não deixe que eles usem da sua fraqueza a força deles.

Segundo levantamento da ONU, o Brasil concentrou 40% dos casos de feminicídios da América Latina em 2017. Vamos nos unir nestes 16 dias de ativismo pelo Fim da Violência contra as mulheres. Divulguem o disque denúncia 180 e abracem a Campanha Não Feche os Olhos.

Devemos legitimar a vida e a honra da mulher e não do homem covarde e agressor. Levanto aqui uma bandeira para redução dos casos de violência, tanto nas casas, como nas empresas, por conta de patrões abusivos. Rogo que todas as esferas da sociedade se unam em prol dessa situação velada. Conclamo aqui todos os homens de bem, para que apoiem suas filhas, esposas, irmãs e colegas de trabalho nesse momento.

Ninguém pode bloquear suas ações; ninguém pode fazer você perder o controle de sua vida, de suas emoções e de seus projetos; ninguém pode anular sua vontade. Vontade significa desejo, e ninguém pode tirá-la de você. Seja uma incentivadora de mulheres! Por fim, quanto mais emancipada é uma mulher, maior é a nossa responsabilidade por lutar pela emancipação e vida das outras mulheres. Seja a mão estendida na escuridão!