E-mail

redacao@correioma.com.br

WhatsApp

99 98190-5359

Radio Timbira
Março Lilas
Sonar

Quebra de contrato da empresa de iluminação pública de Imperatriz gera prejuízos aos moradores

Cidadãos, continuam a pagar as taxas cobradas pelo serviço em suas contas de energia elétrica.

Sonar

SonarCarlos Leen apresenta um jornalismo político direto dos bastidores, sempre de maneira critica e transparente

11/02/2020 18h56Atualizado há 2 meses
Por: Carlos Leen
346
Parecer da Procuradoria Geral do Município recomendando a suspensão do contrato
Parecer da Procuradoria Geral do Município recomendando a suspensão do contrato

Com o anuncio e a suspensão da manutenção da iluminação pública em Imperatriz, moradores já começam a sofrer.

A prefeitura municipal anunciou no último dia 03 que reincidiria o contrato com a empresa Citeluz, responsável pelo serviço e cuja a  sede é na Bahia, em razão de um impedimento da contratação por causa de um processo em tramitação no Tribunal de Contas do Estado (TCE). O vício apontado teria ocorrido no ato da republicação do edital do certame após alterações em um ítem do documento. A nova versão teria sido divulgada sem que houvesse tempo hábil para que todas as empresas interessadas no contrato tomassem ciência da modificação, comprometendo a lisura da referida concorrência pública.

Caso o serviço não retorne, podemos ter um carnaval às escuras em Imperatriz.

Críticos da decisão afirmam que houve precipitação por parte do prefeito Assis Ramos, já que no parecer que recomenda a quebra do serviço não há despacho do conselheiro responsável mencionando qualquer suspensão.