E-mail

redacao@correioma.com.br

WhatsApp

99 98190-5359

Radio Timbira
Agosto Dourado
CORPO E SAUDE

PANDEMIA E ATIVIDADE FÍSICA

Como a pandemia do novo coronavírus alterou a pratica esportiva e o quanto isso pode ser prejudicial..

Corpo e Saúde

Corpo e SaúdeCorpo e Saúde. Por Eberson Ferreira

25/05/2020 14h18Atualizado há 3 meses
Por: Eberson Ferreira
573
CORONAVÍRUS
CORONAVÍRUS

De repente uma pandemia se alastra em nosso meio e leva muitas vidas, o novo coronavírus (COVID-19) vem deixando marcas em todos os países do mundo e aparentemente nos tornamos todos iguais, ricos ou pobres, pretos ou brancos, homens ou mulheres são os mesmos diante dessa terrível ameaça. As recomendações iniciais das autoridades foram o distanciamento e o isolamento social como medidas de contenção do vírus, o que acaba promovendo um aumento na inatividade física pela maioria das pessoas, o que pode acabar acarretando problemas futuros.

Apesar do decreto do presidente da república classificar as academias de ginástica como essencial no combate a pandemia, governos estaduais e municipais não apresentaram, por meio dos dispositivos de ação para o enfrentamento da COVID-19, propostas e recomendações para a população e estabelecimentos sobre a importância da realização de atividade física durante períodos de reclusão social. O Conselho Federal de Educação Física (CONFEF), por sua vez, recomendou aos profissionais de educação física o estímulo e orientação ao beneficiário a permanecer fisicamente ativo, inclusive na residência, respeitando eventuais contraindicações específicas. Porém, essas recomendações não foram estendidas aos estabelecimentos.

 

Vale lembrar que as recomendações da OMS para indivíduos saudáveis e assintomáticos são de, no mínimo, 150 minutos de atividade física por semana para adultos e 300 minutos de atividade física por semana para crianças e adolescentes. Esse tempo de atividade física deve ser acumulado durante os dias da semana, podendo ser dividido de acordo com a rotina do sujeito, sendo composto preferencialmente por atividades físicas de intensidade moderada e intensa.

As opiniões se divergem em relação a esses e outros assuntos, mas duvidar do óbvio não é muito coerente, que atividade física sendo praticada regularmente traz imensos benefícios todos nós já sabemos, mas que ela pode ser um santo remédio para essa e outras doenças que matam milhões de pessoas por ano e isso deve ser levado em consideração.

Entre discussões e opiniões divergentes uma coisa é certa, atividade física e boa alimentação não fazem mal a ninguém e não são mais considerados "modinha", a questão não é onde fazer, e sim como fazer, mesmo que você não esteja frequentando uma academia, não volte a ser um sedentário por que isso pode te promover sérios riscos a sua saúde, e procure sempre orientação profissional.