Brasil BRASIL

Pelo 2º ano, Semana Santa no Brasil será celebrada de forma virtual

Líderes religiosos lembram importância de restrições devido à pandemia

29/03/2021 10h48
25
Por: Hyana Reis Fonte: Agência Brasil
Foto: O Popular
Foto: O Popular

A semana santa é um período de renovação da fé para diferentes comunidades religiosas do Brasil. Neste ano, assim como em 2020, as celebrações foram suspensas ou vão ser restritas, devido a pandemia do novo coronavírus.

O tradicional espetáculo da Paixão de Cristo em Nova Jerusalém, município do agreste pernambucano, que ocorreu por 53 anos, foi novamente adiado. No Distrito Federal, outro evento de tradição, que já teve 46 edições, também não vai ser realizado pelo segundo ano consecutivo: a Via Sacra de Planaltina.  

Apesar desses espetáculos com grandes aglomerações não serem possíveis no momento, os líderes religiosos não vão deixar a data passar sem celebração. O assessor da CNBB, Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, Padre Leonardo Pinheiro, recomenda que os fiéis usem o material distribuído pela entidade para celebrar a Páscoa em casa.

As comunidades evangélicas, apesar de terem uma liturgia diferente do catolicismo, também dão especial atenção a data que marca a ressurreição de Jesus Cristo. Segundo o pastor Edvar Gimenes, da Convenção Batista de Pernambuco, o Domingo de Páscoa é a data mais importante do calendário religioso. E, de acordo com ele, neste ano, tudo será feito de forma virtual, com a cerimônia ocorrendo pela internet.

Não são apenas os católicos e evangélicos que celebram a data da ressurreição de Jesus. Algumas casas de Umbanda de tradição mais antiga também comemoram a Semana Santa. A Umbanda é uma religião brasileira que pode reunir tradições de matriz africana, indígena e cristã. Em Luziânia, município de Goiás, o terreiro do Pai Nanin tem celebrações para toda a quaresma.  

Por causa da pandemia, neste ano, a celebração no terreiro do Pai Nanin será restrita apenas a familiares mais próximos. O sacerdote recomendou aos demais membros que celebrem a Semana Santa nas próprias residências, no mesmo horário da celebração do terreiro, como se estivessem no centro, praticando as mesmas liturgias.