Brasil BRASIL

Atentado em creche em Santa Catarina: o que se sabe e o que falta saber

Três crianças e duas funcionárias foram mortas a golpes de facão. Assassino tentou golpear o próprio corpo e foi hospitalizado.

05/05/2021 11h36 Atualizada há 2 meses
162
Por: Hyana Reis Fonte: G1
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Três crianças e duas funcionárias de uma creche foram assassinadas na manhã desta terça-feira (4) em Saudades, no Oeste catarinense, durante um ataque a uma escola de educação infantil. A Polícia Civil confirmou os nomes dos alunos que foram mortos.

Veja quem são as vítimas:

Sarah Luiza Mahle Sehn, Murilo Massing e Anna Bela Fernandes de Barros foram assassinados em atentado em creche de Saudades (SC) de 1 ano e 8 meses — Foto: Reprodução/NSC TV

  • Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, professora
  • Mirla Amanda Renner Costa, de 20 anos, agente educacional na escola
  • Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses
  • Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses
  • Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses
  • Outra criança, de 1 ano e 8 meses, também ficou ferida e precisou passar por cirurgia

O assassino, segundo a polícia, é um jovem de 18 anos que foi à creche armado com um facão e uma faca. Após atingir as vítimas, ele golpeou o próprio corpo e foi detido pela polícia, mas precisou ser hospitalizado. Na casa dele, a polícia encontrou R$ 11 mil em espécie e duas embalagens de facas novas.

As vítimas

Keli Adriane Aniecevski e Mirla Renner morreram uma escola infantil de Saudades (SC), após um ataque à faca nesta terça-feira (4) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

A professora Keli Adriane Aniecevski trabalhava na creche havia cerca de 10 anos, conforme Silvane Elfel, prima dela. "Ela era uma pessoa alegre, sempre disposta, simpática, carismática sempre, ajudando o próximo quando ela podia. Então, assim, é uma tristeza que eu não sei explicar, eu não tenho explicação para isso", disse a prima da professora.

A outra funcionária morta era estudante da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Mirla Amanda Renner Costa cursava o quarto semestre da graduação em engenharia química no Centro de Educação Superior do Oeste, em Pinhalzinho, cidade vizinha a Saudades.

A universidade decretou luto de três dias por causa da morte dela. Segundo a instituição, Mirla já trabalhava na creche antes de entrar para a faculdade. Conforme a nota da Udesc, Mirla era “muito querida pelos alunos da turma de engenharia química”.

De acordo com o assessor jurídico de Saudades, Luiz Fernando Kreutz, Mirla chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu. As vítimas foram homenageadas na tarde de terça-feira em frente à creche, com fotos e flores.O que se sabe até agora:

  • Um homem de 18 anos invadiu a escola Aquarela com duas facas às 10h de terça (4).
  • A creche fica na cidade de Saudades (SC), 600km de Florianópolis, e atende crianças de 6 meses a 2 anos.
  • 20 crianças estavam no local sob os cuidados de 5 professoras.
  • A primeira pessoa que o assassino atacou foi a professora Keli Adriane Aniecevski.
  • Mesmo ferida, a professora correu para uma sala, onde estavam quatro crianças e a agente educativa Mirla Renner, de 20 anos.
  • O homem chegou até a sala e continuou os ataques, matando Keli e três crianças. Mirla chegou a ser socorrida, mas não resistiu.
  • Todas as vítimas foram atingidas com, pelo menos, cinco golpes de facão.
  • O assassino tentou entrar em todas as salas da creche, mas professoras conseguiram se trancar e proteger as crianças.
  • A única sobrevivente ao ataque é uma criança de 1 ano e 8 meses, que está na UTI.
  • O assassino foi preso e levado ao hospital após dar golpes contra o próprio corpo. Estado de saúde é grave.
  • Polícia encontrou R$ 11 mil e duas embalagens de facas novas na casa do assassino.

Qual a motivação do crime?

Arma que foi apreendida e irá passar por perícia no IGP — Foto: Jornal e TV A Sua Voz, reprodução

Segundo a Polícia Civil, a motivação do crime ainda terá que ser esclarecida. Como o suspeito está internado, o delegado não conseguiu tomar o depoimento dele.

"Eu não sei se a gente vai conseguir chegar no ponto do porquê, mas queremos prevenir ações futuras. Tentar entender. O computador do autor foi apreendido e passará por perícia", disse o delegado.

A Polícia Civil quer traçar um perfil do jovem, que mora em Saudades. “O rapaz era problemático. Pessoas próximas a ele me relataram que ele vinha enfrentando bullying na escola, vinha maltratando alguns animais. Era muito introspectivo”.

"Ele tinha alguns problemas dentro de casa, não queria ir mais para escola. A família é humilde, sem conhecimento de que precisava falar com esse jovem, que enfrentava problema psicológico", completou o delegado. "Quero ver o que ele vai contar, para poder juntar peças de investigação com a versão dele para tentar entender a motivação desse crime", continuou.

O suspeito foi encontrado?

Após o crime, o suspeito foi contido por vizinhos, que ouviram os gritos, até a chegada da polícia, que prendeu o homem. O jovem estava ferido e foi encaminhado para o Hospital de Pinhalzinho. Depois disso, foi transferido com escolta policial para o Hospital Regional do Oeste, em Chapecó. As duas unidades ficam na região Oeste de Santa Catarina.

O que se sabe sobre o suspeito?

Segundo o delegado, o autor, que é morador de Saudades, estava no ensino médio, trabalha em uma empresa de produção de roupas e guardava dinheiro desse emprego. A polícia encontrou R$ 11 mil na casa dele. Os pais dele foram ouvidos na casa da família, onde moram o jovem, os pais, uma irmã e uma avó.

"Pais e irmã disseram que ele era mais quietão, não saía com ninguém, não tinha celular. Tinha se afastado dos poucos amigos", relatou o delegado.