Educação EDUCAÇÃO

Prédio do Centro de Ciências Agrárias da UEMASUL vai melhorar qualidade de ensino

As obras estão na fase de conclusão, com trabalhos nas instalações elétricas, rede de lógica, brises metálicos, conclusão do auditório, pintura e pavimentação externa

08/05/2021 10h00
28
Por: Hyana Reis Fonte: Governo MA
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Para a estudante Larissa Teles, a construção do novo prédio do Centro de Ciências Agrárias (CCA), da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), campus Imperatriz, vai proporcionar uma melhor estrutura, além da qualidade de ensino. “A gente sabe que a qualidade de ensino, tanto nas aulas teóricas, quanto práticas, vai melhorar bastante. Vamos ter espaço e estrutura melhor”, destacou.

Os serviços, executados pelo Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra), estão na fase de conclusão, com trabalhos nas instalações elétricas, rede de lógica, brises metálicos, conclusão do auditório, pintura e pavimentação externa. O novo centro está localizado no perímetro urbano da rodovia BR-010, próximo ao Parque de Exposições Lourenço Vieira da Silva.

O local, inicialmente atenderá diretamente aos cursos de Medicina Veterinária, Agronomia e Engenharia Florestal, mas conta com espaço para uma possível expansão. Isso, segundo o secretário da Sinfra, Clayton Noleto, significa mais oportunidade de acesso ao ensino superior para a população. “Estamos construindo uma universidade confortável, moderna e com espaço para ampliação, que vai possibilitar condições de trabalho para os professores, e demais servidores, além do acesso à educação para um maior número de pessoas, aliado a melhores condições de ensino e aprendizagem”, afirmou.

O novo prédio é amplo e moderno, sendo composto por 20 salas de aula, uma de controle, quatro para administração, uma de informática, quatro de manutenção técnica, 21 laboratórios, auditório, cantina, cozinha, oito banheiros, uma biblioteca e estacionamento. Essa estrutura, além de proporcionar uma formação profissional de maior qualidade, vai dar melhores condições para desenvolver a pesquisa e extensão seguindo as vocações regionais socioeconômicas. Isso significa mais produção de conhecimento e maior aproximação com a comunidade.