Política POLÍTICA

Pazuello entende que 'cometeu um erro', sobre ida a ato com Bolsonaro

Por ser general da ativa, ex-ministro pode ser enquadrado no regulamento do Exército, que veda participação de militar em ato político

24/05/2021 14h57 Atualizada há 4 semanas
35
Por: Hyana Reis Fonte: G1
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira (24) que o general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, entendeu que “cometeu um erro” ao participar de um ato político ao lado do presidente Jair Bolsonaro. Pazuello é general da ativa, e o regulamento do Exército veda participação de militar em manifestação de cunho político.

O ex-ministro esteve no passeio de motocicleta realizado por Bolsonaro no domingo (23) no Rio de Janeiro. Ele subiu no carro de som e fez um rápido discurso. Pazuello, Bolsonaro e aliados do presidente estavam sem máscara, o que é proibido no Rio.

"Eu já sei que o Pazuello já entrou em contato com o comandante informando ali, colocando a cabeça dele no cutelo, entendendo que ele cometeu um erro", afirmou Mourão a jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto.

Mourão, que é general da reserva, disse considerar “provável” uma punição a Pazuello dentro do Exército. "É provável que seja [punido]. É uma questão interna do Exército. Ele [Pazuello] também pode pedir transferência para reserva e aí atenuar o problema", disse Mourão.

Questionado se a condução do caso pode abrir uma brecha para politizar os quartéis, o vice disse que não acredita nessa hipótese.

"Acho que o episódio será conduzido à luz do regulamento, isso tem sido muito claro em todos os pronunciamentos dos comandantes militares e do próprio ministro da Defesa", completou Mourão.