Polícia POLÍCIA

PM suspeito de assassinar médico é preso e diz que tiro foi acidental

Adonias Sadda foi preso na noite de terça-feira (28) na casa de seu advogado. Em depoimento. o suspeito disse à policia que não teve intenção de disparar

28/07/2021 12h11 Atualizada há 2 meses
83
Por: Hyana Reis
Adonias Sadda, suspeito de cometer o crime
Adonias Sadda, suspeito de cometer o crime

O tiro foi acidental, é o que afirma Adonias Sadda, suspeito de ter assassinado o médico Bruno Calaça em boate de Imperatriz na última segunda-feira (26). O Policial Militar, que estava foragido, foi preso na casa de seu advogado, onde estava escondido desde o crime.

Em seu depoimento à polícia, Adonias disse que não teve a intenção de disparar, segundo informações da investigação "A versão dele é que foi de forma acidental", disse o comande do 3° Batalhão em entrevista à imprensa.

Após o depoimento, foi cumprido o mandado de prisão e o suspeito foi encaminhado ao 3° Batalhão onde ficará a disposição da justiça. A polícia informou ainda que outros dois envolvidos no crime estão sendo procurados, e poderão ser presos a qualquer momento.

Relembre o caso

PM é preso por matar médico a tiros durante discussão em casa noturna - Brasil - SBT News

Bruno Calaça Barbosa, que havia se formado no curso de medicina há menos de um mês, foi morto a tiros em uma festa ilegal realizada em um estabelecimento na avenida Beira-Rio.

De acordo com testemunhas, o jovem foi morto após um desentendimento um desentendimento entre a vítima e  amigos do soldado Adonias Sadda, que disparou contra o médico. Imagens de câmeras de segurança da casa noturna registraram o crime onde mostram que há pelo menos mais dois homens envolvidos na confusão que ocasionou o crime. A identidade do terceiro envolvido ainda não foi confirmada pela Polícia Civil.